Ingresso

O ingresso no ensino superior marca uma etapa de vida que exige uma série de mudanças que, quase sempre, constituem uma novidade na vida dos jovens. Dependendo das circunstâncias de vida de cada um, pode englobar a mudança de residência, a primeira saída da casa dos pais, a mudança do grupo de amigos e, em todos os casos, a passagem para um novo paradigma de ensino.

Esta entrada no mundo universitário ou politécnico proporciona uma série de experiências, oportunidades, novidades e desafios que permitem a formação de novas capacidades, o encontro de novos relacionamentos, uma maior independência e um sentido de identidade mais estável. Contudo, as transformações e mudanças necessárias a uma boa adaptação ao ensino superior nem sempre são fáceis e simples de fazer. Podem surgir obstáculos, problemas e dificuldades que contribuem negativamente para o bem-estar do jovem estudante, obscurecendo uma etapa potencialmente tão enriquecedora.

É essencial que haja uma adaptação satisfatória ao ensino superior, o que significa não só um bom desempenho académico, mas também a satisfação noutras áreas, como a social e pessoal.

Dificuldades mais frequentes na entrada no Ensino Superior

.

Adaptação a um novo sistema de ensino

O ambiente universitário possui exigências muito distintas do ensino secundário.

O que é diferente?

    • O ensino superior requer uma maior autonomia e independência do estudante, não só no estudo, como também na própria escolha do percurso académico e plano de estudos;
    • Os métodos de estudo precisam de ser modificados, torna-se necessário fazer uma pesquisa e recolha de material independente, conciliar um maior número de tarefas, frequentemente com um grau de dificuldade superior, e fazer a gestão de uma carga de trabalho mais elevada;
    • O ensino superior é muitas vezes caracterizado por uma maior competição e anonimato, em que os professores dificilmente conhecem cada estudante pessoalmente, o que dificulta dar resposta às necessidades específicas de cada um.

Tendo em conta estas exigências acrescidas, podem surgir as primeiras experiências de insucesso e de fracasso. Há que adaptar e alterar estratégias de estudo para prevenir o insucesso académico e corresponder às expectativas e exigências geradas pelo próprio, e/ou adaptar as próprias exigências a um nível que seja adequado à nova realidade com que o estudante se confronta.

.

Sair pela primeira vez da casa dos pais

Sair da casa dos pais e viver nas suas próprias quatro paredes é um momento de vida único. Ao mesmo tempo, esta nova liberdade vem acompanhada de novas responsabilidades. É necessário:

    • Estabelecer autónoma e independentemente uma rotina;
    • Gerir as finanças e as tarefas domésticas;
    • Dar resposta às obrigações académicas.

A ausência de regras e pressões externas (como por parte dos pais) pode levar a situações complicadas, como a negligência do estudo e da frequência do ensino, dos cuidados pessoais ou das possibilidades financeiras.

.

Integração num novo meio e isolamento social

Ao ingressar no ensino superior, o jovem estudante pode deparar-se com a situação de estar, pela primeira vez na sua vida, verdadeiramente sozinho, isto é, longe dos familiares, amigos, namorados, conhecidos…
Fora do seu ambiente habitual pode ser difícil procurar novas amizades, procurar a integração em novos grupos e participar em novas actividades. Certamente, no início dos estudos, é natural sentir-se mais sozinho, já que a formação de novos laços afectivos pode demorar algum tempo.
No entanto, quando existe uma sensação de solidão e isolamento extrema, pode tornar-se excessivamente dolorosa e contribuir para um sofrimento psicológico intenso.

Alguns dos sinais que podem indicar a presença de isolamento social são:

    • Preferir estar sozinho, mesmo quando poderia estar acompanhado;
    • Pouca vontade de se envolver em actividades;
    • Poucos ou nenhuns contactos sociais;
    • Tristeza;
    • Sensação de solidão e isolamento;
    • Sofrimento.

.

Saudades de casa

No caso dos alunos deslocados, estar longe de casa pode ser uma novidade à qual é difícil adaptarem-se. Por diversas razões, existe uma série de mudanças a efectuar e nem sempre o estudante quer ou consegue realizá-las. Em último caso, as saudades de casa podem tornar-se tão intensas que o estudante pretenda desistir do seu curso universitário e regressar a casa.

Alguns dos sinais mais comuns destas saudades de casa são:

    • Saudades intensas: por exemplo, dos pais, dos amigos, do cão, do quarto, da cidade, dos lugares favoritos;
    • Sentimentos de insegurança face à nova realidade;
    • Ansiedade;
    • Tristeza;
    • Sensação de estranheza e desgosto em relação ao novo ambiente;
    • Sensação de não pertença.
.

.

O que fazer?

.

Programas de Mentorado

A maioria das universidades mostra preocupação com a adaptação e integração dos seus novos estudantes e desenvolve programas que promovem estes mesmos aspectos. Um dos programas mais frequentes é o Mentorado. Este tipo de programa promove o acolhimento e integração do “caloiro” desde o início do ano lectivo. Habitualmente, existem um ou vários estudantes mais avançados que são responsáveis por pequenos grupos de caloiros. Tendem a ser realizadas diversas actividades, como visitas guiadas à faculdade, momentos de interacção ou saídas em grupo. Estes encontros permitem conhecer os “cantos da casa”, conhecer vários colegas e colocar dúvidas ou questões aos estudantes mais velhos.

.

Não viver em casa própria

Viver sozinho ou partilhar casa com desconhecidos pode não ser a melhor opção para todas as pessoas. Aqueles que preferem estar numa pequena comunidade ou viver com grupos de pessoas, podem considerar morar numa residência, com familiares ou amigos. Habitualmente, o acesso às residências é reservado aos estudantes com mais dificuldades financeiras, pelo que é importante recolher informação junto dos serviços sociais de cada universidade.

.

Recorrer às oportunidades oferecidas pela universidade

Regra geral, existem associações, clubes ou outras actividades que são oferecidas no contexto das instituições universitárias. Estas podem facilitar a integração num novo grupo e a familiarização com o novo meio. Para obter informações sobre estas oportunidades, pode ser útil consultar os serviços sociais ou a associação de estudantes.

.

Serviços de Apoio Psicológico e Psicopedagógico no ensino superior

Quando a pessoa sente que não consegue ou não quer lidar com as suas dificuldades e problemas autonomamente, pode fazer sentido recorrer aos serviços de apoio psicológico e pedagógico de cada instituição. Apesar de este tipo de serviço se estar a tornar mais frequente nas universidades, nem todas os possuem. Estes serviços podem auxiliar na formação de novas capacidades e estratégias de estudo, e fornecem aconselhamento psicológico ou psicoterapia.

Para mais informações sobre estes serviços consultar estes serviços.

.

Outros apoios especializados

Se a instituição de ensino não oferecer este tipo de serviços, poderá considerar a possibilidade de procurar outras fontes de apoio especializado.

© 2018 SOS Ensino Superior | Design Theme by: D5 Creation | Powered by: WordPress